L’Étape Brasil: Eu completei!

Oi pessoal,

Conforme prometido, hoje vou contar para vcs como foi a experiência de completar a minha primeira prova de ciclismo! E vamos combinar: não estamos falando de qualquer prova! Estreei logo de cara em um L’Étape! É realmente MUITA emoção!

img_3659

Como comentei com vcs no post anterior, esse ano optei por fazer o meio percurso: 54 km de distância e 1,63 km de ascensão! Um percurso realmente duro e bastante técnico. Mas estava na medida para mim!

Às 7h25 da manhã foi dada a largada do pelotão 10, ao qual eu pertencia. Maior galera, música alta, uma barulheira deliciosa! Cidade todinha decorada com bandeirinhas em forma de camisetinhas do Tour, uma graça!

img_3660

Eu e Valdinho eterno companheiro

Logo na saída da cidade, já começamos a subir! Sem choro nem vela! Cerca de 4Km em uma inclinação média de uns 5%. Estão achando punk o negócio? Calma lá! Esse é só o começo!

O meio percurso basicamente era constituído de duas montanhas. Ida e volta:

  • Pedra da Maceta:  4,5km com 7,34% de inclinação média
  • Divisa São Paulo-Rio de Janeiro: 4km com cerca de 12% de inclinação

    14379796_10202031900917129_1251981818897137093_o

    Rodrigo Hilbert

Ambas tinham os seus requintes de crueldade mas acho que a primeira montanha é a vencedora! Na ida, enfrentamos uma curva muito especial que eu particularmente batizei de “A Maldosa”. E OK, confesso: Nesse ponto desci e empurrei a bike. Era uma curva curta, de uns 8m no máximo porém fechada, 90 graus, 19% de inclinação! Quando olhei para ela e ela olhou para mim, amarelei! Eu e mais uma galera! Ano que vem definitivamente vou mudar a relação da minha bike: preciso de mais marcha. E na volta, teve a subida do “Fromme”. Insana. Empurrei a magrela de novo por mais uns 300m. A perna simplesmente já não respondia mais.

img_3674

Bernardinho

Fora esses dois pontos, pedalei a prova inteirinha! Estou muito orgulhosa pois realmente não foi nada fácil! É preciso muita paciência e muita cabeça pois giramos adoidado sem sair do lugar. Marcha leve 80% do tempo. Só no volantinho. Na volta é praticamente só descida, uma delícia. Cachoeira, lavandários, fazendas… Essa é a hora que dá para contemplar um pouco mais a paisagem. Mas também é a hora de maior perigo. Eu mesma presenciei dois acidentes bem feios. De boa: Só ouvia o povo gritando “Ixsquérda” e deixava passar! Eu definitivamente ia freando.

A chegada é emocionante. Mas realmente dura. O pessoal da organização armou o circo todo ao lado de uma igrejinha localizada no ponto mais alto da cidade. Quero agradecer imensamente aos meus amigos Mari, Gui, Bertha e Talita que ao me verem subindo começaram a gritar o meu nome a plenos pulmões: “Vai Má!!!”. Foi essa torcida que me deu forças para não sair do clipe.

img_3669

Bertha, Talita, Mari e Eu!

Cruzei a linha chorando de emoção. Quem me conhece sabe que geralmente cruzo sorrindo, mas dessa vez cruzei chorando. Em diversos momentos pensei em desistir. Sofri demais. Tive uma intoxicação alimentar um dia antes da prova e estava extremamente debilitada! Passei a prova todinha fazendo a reposição de eletrólitos e tomei apenas meia bisnaga de gel durante todo o percurso. Foram cerca de 4h de prova. Não sei de onde tirei forças. Fiquei muito frustrada e com muito medo de não conseguir completar a prova dentro do tempo limite. Ao cruzar a linha de chegada, um filme passou pela minha cabeça, me lembrando dos últimos dois meses de treinamento intenso, de todas as horas que deixei de estar com a minha filha para poder viver essa loucura. Realmente não queria que todo o meu esforço tivesse sido em vão. Obviamente não fiz o meu melhor tempo e na verdade nunca tive a pretensão de fazer essa prova em alta performance. Meu objetivo era realmente terminar! E eu consegui: Saí com uma medalha no peito que era tudo o que eu queria.

Essa é uma prova realmente muito difícil. Tive a oportunidade de conversar com alguns participantes e posso afirmar: todos nós sofremos. Muitos tiveram que empurrar a bike. Muitos pararam nos postos de hidratação para se recuperar. Tá tudo bem. Essa é uma prova que merece respeito. E todos somos vencedores!

Parabéns aos participantes do L’Étape Brasil 2016!!! Ano que vem tem mais!

img_3656