Outplacement & Recolocação

Post #3 – Outplacement & Recolocação

No post de hoje vamos falar um pouquinho sobre o que eu aprendi a respeito dos serviços de Outplacement & Recolocação que as empresas de Recursos Humanos (RH) costumam ofertar por aí! Como vocês sabem, essa foi uma das diversas frentes que abri em minha busca por uma oportunidade profissional. Confesso que fiquei curiosa de ver como funciona esse tipo de serviço e fui atrás! Portanto, a ideia do post de hoje é dividir com vocês mais esse aprendizado! Quem sabe seja útil para alguns de vocês…

Empresas de Recursos Humanos

Quando penetrei esse universo de RH acabei me deparando com um monte de terminologias com as quais não estava muito familiarizada. Por isso precisei  dedicar um tempinho para estudar e entender alguns conceitos antes de bater na porta dessa tchurma com meu saltinho Laboutin! Até parece… 😂

photo-1452690700222-8a2a1a109f4c

As consultorias de RH em geral, costumam oferecer uma série de serviços dentre eles:

  1. Recrutamento: Conjunto de procedimentos que tem por objetivo captar candidatos potencialmente qualificados e alinhados às exigências de uma determinada vaga solicitada por uma empresa.
  2. Seleção: Identificação e o encaminhamento do profissional que melhor apresenta as qualidades e características comportamentais necessárias para o cargo e solicitadas pela empresa.
  3. Assessment: Avaliação das competências profissionais de uma pessoa. Através desse serviço é possível destrinchar o perfil comportamental de um profissional para que ele possa se auto-conhecer e posteriormente gerir esse conhecimento no desenvolvimento de sua própria carreira. Existem inúmeras técnicas e avaliações que conduzem ao diagnóstico do potencial das pessoas, dentre elas os métodos Quantum, Korn Ferry, ThomasCase etc.
  4. Coaching: Espécie de terapia conduzida por psicólogos e especialistas de RH que visa a interpretação dos dados do assessment bem como a implementação de ações de melhoria com foco no desenvolvimento de competências e habilidades comportamentais.
  5. Outplacement: É uma solução profissional elaborada com o intuito de conduzir processos de recolocação profissional no mercado de trabalho.

Existem MUITAS empresas especializadas em RH, fora as clássicas Michael Page, Hays e Robert Half. Dentre elas: StatoLenns & MinarelliKorumThomas Case & AssociadosStaut RH.

Não cheguei a visitar todas elas, mas enfim, tem um montão de empresas por aí afora.

E como vocês podem ver, existe uma gama de serviços, os quais podem ser contratados tanto por pessoas físicas como pessoas jurídicas. Mas a ideia do post de hoje é falar especificamente de Outplacement, então vamos lá!

bag-and-hands

Outplacement

Por incrível que pareça tanto pessoas físicas como jurídicas podem contratar um Outplacement. Muitas empresas acabam contratando esse tipo de serviço para dar suporte a profissionais que estejam passando por processos desligamento, em especial aqueles em altos cargos de liderança.  Essa é aliás uma das “boas práticas” de mercado! As empresas entendem essa abordagem como uma maneira digna de conduzir e amparar seus ex-funcionários durante o processo de desligamento e recolocação. Bom, em meu caso, não me foi ofertado esse tipo de serviço durante o meu processo demissional. Portanto tive que correr atrás de ajuda por conta própria.

Todas as empresas que visitei trabalham mais ou menos da mesma maneira. Elas em geral oferecem no pacote de serviços o seguinte:

  1. Assessment: Geração e interpretação de seu perfil comportamental
  2. Currículo e LinkedIn: Auxílio e dicas na elaboração de conteúdo
  3. Vagas: Busca ativa de oportunidades junto às empresas
  4. Mailing: Trabalho ativo de envio de seu currículo junto ao seu banco de dados
  5. Período: De 6 meses a 1 ano.
  6. Custo: De 1 a 2 vezes o seu salário anterior.
  7. Forma de pagamento: Uma parte antes e outra depois da recolocação (85% / 15% …)
  8. Garantia de sucesso: ZERO!

Ok! Coloquei aqui de forma muito simplificada um resumão de como essas empresas operam. Todas me mandaram lindas apresentações em Power Point, foram SUPER atenciosas … o ponto é o seguinte: todas trabalham mais ou menos através mesma dinâmica.

photo-1474377207190-a7d8b3334068

Minha opinião

Depois de muito visitar algumas empresas de Recolocação, acabei desenvolvendo uma análise crítica do processo, a qual gostaria de compartilhar com vocês. Bom … é a minha opinião. Não existe certo ou errado! Mas gostaria de dividir com vocês a minha linha de raciocínio para que vocês cheguem às próprias conclusões.

1) Consultoria de carreira

Muitas das empresas que visitei, parecem fazer um excelente trabalho de assessment e orientação profissional. Disso não tenho a menor dúvida. Muitos me descreveram as suas metodologias, as práticas de One-o-One que são realizadas junto aos consultores de carreiras, os ensaios de entrevista… até aí ok! Essa é a expertise dos caras. Estou segura que todas essas empresas prestam um trabalho sério. E do fundo do coração: acredito verdadeiramente que esse serviço prévio de suporte é de extrema importância e deve SIM ser cobrado com antecipação! É um serviço como outro qualquer e tem o seu valor. Eles vão alocar recursos e dedicar tempo te preparando. Então vale!

2) Valores

Em primeiro lugar, acredito que o serviço deve ser cobrado de maneira compatível com as práticas reais de mercado. Como eu já tinha a referência de custo do meu coaching, já tinha uma ideia de valores! Um coaching não me custa um salário inteiro por mês. Portanto, logo de cara, já vi que a “matemática” não fechava!

Em segundo lugar: não acho certo eles customizarem o preço conforme a faixa salarial do contratante, afinal de contas, os esforços gerados e os serviços ofertados são os mesmos, independentemente do profissional.

photo-1459257831348-f0cdd359235f

E o terceiro ponto: A forma de pagamento é EXTREMAMENTE injusta. Esse negócio de pagar 90% do processo com antecipação, não é certo! O contratante precisa de alguma garantia de que a empresa irá dedicar esforços em sua recolocação e quando pagamos o serviço todinho de forma antecipada, perdemos essa garantia. Ou no mínimo, a sensação de compromisso por parte do fornecedor. Essa é a dinâmica natural de mercado de serviços: uma parte agora e uma parte de depois. Eu concordaria em pagar de forma antecipada o valor relativo ao assessment e ao coaching. O resto, só depois que eu estiver empregada. Pode até ser um salário, mas é aquele negócio: emprego primeiro!

3) Riscos

Entendo que esse é um investimento de alto risco! Mas acredito que o risco deve ser compartilhado entre as partes para que seja construída uma relação de ganha-ganha. É nítido que isso não acontece no setor.  Quem mais se arrisca nesse processo é o contratante. E ponto final. A relação está completamente desbalanceada.

photo-1431605695381-f4a9c3cdd150

4) Garantia de sucesso

A questão da efetividade do serviço é algo que também pesa no processo decisório. Pagar um preço tão alto por algo que não sabemos se vai dar certo, é de doer. Algumas empresas me informaram que possuem estudos que mostram uma efetividade de 85% de suas ações. É uma taxa bastante alta, mas mesmo assim, não existe garantia de entrega de resultado. Aqui, mais uma vez, remetemos à importância do compartilhamento dos riscos.

Conclusão …

Vocês vão dar risada com o que eu vou falar agora mas é a mais pura verdade:

Eles precisam urgentemente de um gerente de produto! Vou mandar meu currículo! 😂

Sério mesmo!!! Vejo um mar de oportunidades inexploradas nesse negócio! O mercado aparentemente ainda não soube construir sua proposta de valor. Eles fechariam muito mais negócios se soubesse criar essa relação de confiança com o cliente. A relação de parceira, de ganha-ganha. Eles possivelmente estão fechando negócios hoje em dia baseado na exploração da vulnerabilidade das pessoas e isso é que pode estar “queimando” a imagem desse tipo de empresa no mercado. Eu mesma confesso que já tinha um pé atrás com esse tipo de atividade. E depois de toda a minha maratona de visitas às empresas de Outplacement, confesso saí ainda mais desconfiada…

photo-1475650522725-015d35677789

Eu inclusive, me senti até um pouco lesada durante algumas tratativas. Não sei … um sentimento de que estava ali fazendo papel de boba. Não foi legal. Quando questionava os valores e a forma de pagamento do serviço, apresentando o meu raciocínio lógico a respeito das práticas de mercado de um coaching individual, eu via que muitos dos consultores ficavam desarmados. Eles não tinham uma retórica bem formulada para me convencer de que eu estaria fazendo um bom negócio. Concordo que eles possuem um data base riquíssimo e um networking poderosíssimo! Mas mesmo assim … não achei muito fair. Eles podem até ter um network bacana, mas até ai, eu também tenho um ótimo currículo. Sei que sou um bom produto. Eu, e muitos outros profisisonais, poderíamos contribuir bastante para o incremento dos índices de efetividade de seus processos. Como eu falei … é uma troca!

Ok, confesso que hoje eu dei uma de Chloe! Vocês sabem … aquela menininha loirinha do Facebook que só reclama! E que tem umas tiradas ótimas!! Então … A gente sempre ouve falar de histórias de sucesso né? De gente que teve uma baita de uma sorte e que conseguiu o emprego dos sonhos do jeito mais inusitado possível! Mas enfim… Eu não tenho tanta sorte assim! Essas coisas definitivamente não acontecem comigo! Concordo que tive oportunidades profissionais incríveis na minha vida! Mas TODAS elas foram conquistadas com muito suor e uma boa dose de cara de pau! Portanto a conclusão que cheguei foi a seguinte: prefiro eu mesma correr atrás do prejuízo! Se em 6 meses não conseguir nada, aí sim, enfio meu rabinho no meio das pernas e parto para o plano B: contrato um Outplacement. Mas por enquanto, não acho que vale a pena. Não senti firmeza no processo.

Beijos e até o próximo post!