Vivendo bem gastando menos – Parte 4: Como reduzir os gastos com supermercado!

Oi pessoal!

Post 4 de 5! FINANÇA DOMÉSTICA!

Finalmente chegou a hora! Hoje vamos falar sobre dicas práticas de como economizar. Mas antes de mais nada: Vocês entenderam a importância dos processos prévios de auto-reflexão, né? E como elaboramos os nossos planos estratégicos e táticos, certo? Sem esse planejamento inicial, dificilmente vamos lograr êxito na busca da excelência de nossa gestão financeira doméstica. Não podemos perder de vista os nossos sonhos. É neles que temos que investir!

Hoje vamos falar sobre os capítulos 6, 7, 8, 9, 10 e 11 do livro de Ruth Soukup, Living Well Speding Less. É bastante coisa! Mas prometo que farei o possível para que o post não fique tão extenso! Um pouquinho vai ficar .. não tem jeito! Afinal chegamos ao cerne de nossa discussão… o assunto vai dar pano para manga. Bom, o texto ficará disponível aqui no blog eternamente para quem quiser voltar e ler depois!

Preparados?

Capítulo 10 – Organização e limpeza

Pessoal, no capítulo 10, a autora trata de temas relacionados à organização e limpeza.

a) Organização: Não vou dedicar muito tempo à esse tema pois acredito que, de certa maneira, ele nos remete ao post do Método Konmarie que eu já escrevi a alguns meses atrás! Fora o post que redigi para o Blog Mil Dicas de Mãe de Nívea Salgado que trata mais ou menos do mesmo assunto, só que na prática. Para aqueles que não tiveram a oportunidade de ler os textos, super recomendo!

b) Limpeza: Nesse capítulo a autora nos dá dicas de como fazer produtos de limpeza em casa! Isso mesmo! Prometo que vou redigir um post especial com todas as fórmulas que ela nos dá! Como sou química de formação, creio que possa ajudá-los com isso! Mas gente,… me perdoem! Posso falar a verdade? Eu tô fora!!! Definitivamente esse negócio de “faça você mesmo”, não combina comigo. Eu sou daquelas que buscam o maior nível de praticidade possível… mas enfim. Fica a dica para aqueles que querem economizar nos produtos de limpeza e que adoram fazer experiências em casa! Certamente a cândida, o detergente, o Veja e o Vanish podem elevar, e muito, nossas despesas de supermercado. Agora… posso deixar uma dica pessoal? Que não tem nada a ver com a Ruth? Eu costumo comprar formulações prontas de um senhor que me entrega em casa!  Isso mesmo… são produtos formulados por pequenas e médias empresas locais. Fica bem mais barato, vem tudo em galões gigantes que ele recicla depois … muito mais fácil! A moça que trabalha em casa que me deu a dica. Sabão em pó, detergente e amaciante, eu compro no supermercado mesmo. Sou fiel a certas marcas e não abro mão! Mas produto para limpeza de chão, banheiro, vidro… isso tudo, tranquilo! Dá para comprar do comerciante da esquina. E de quebra ajudamos essas pequenas e médias empresas a alavancarem os seus negócios, não é mesmo? Troque uma ideia com o porteiro de seu condomínio ou com profisionais domésticas. É possível que eles conheçam os “meandros” e saibam te indicar alguma empresa de pequeno porte que comercialize produtos “caseiros”.

hqohdaibf6a-catt-liu.jpg

Capítulo 8 – Custos fixos e variáveis

Bom, antes de mais nada, planeje-se! Precisamos ter visibilidade da renda familiar disponível e de nossos hábitos de consumo. Siga as instruções abaixo que você  “passa de ano”!

  1. Relatório de gastos: A partir de sua renda familiar vá listando todos os gastos fixos (conta de água, aluguel, savings, etc) e variáveis (restaurantes, presentes, manutenção do veículo, etc). Savings refere-se às nossas economias. Futuro! Lembre-se: é aconselhável guardar pelo menos 30% de sua renda familiar para esse “tal de futuro” aí! Por isso já deixa ele ali quietinho no “custo fixo”.

Veja abaixo um pequeno exemplo de como você pode construir sua planilha:

Família Silva
Renda familiar mensal Gastos

R$2.000,00

Custo fixo Água

R$30,00

Supermercado

R$400,00

Savings

R$600

Custo variável Restaurante

R$100,00

Presentes

R$100,00

Total

R$200,00

Eu não sou nenhuma expert na área de finanças. Se você der esse Excel nas mãos de um controller, ele provavelmente vai querer incluir até a taxa de depreciação de sua máquina de lavar! Mas vamos simplificar o negócio. O importante é ter visibilidade de sua realidade financeira doméstica. E a partir daí, avaliar onde é possível fazer corte de gastos. Pessoal… lembrem-se: foquem nos seus sonhos! Se você anda gastando muito em restaurante, pode parar! Precisamos abdicar de algumas “gracinhas” se queremos de fato poupar para algo maior.

Capítulo 9 – Como reduzir a conta do supermercado

Finalmente chegamos aonde vocês queriam. É nesse capítulo que a autora nos dá dicas para economizármos no supermercado. É uma pena que algumas delas só servem mesmo para as pessoas que vivem nos EUA. Existe uma série de informações sobre práticas de preço no site do FDA (Food and Drug Administration), dicas de supermercados de baixo custo como o ALDI, etc. Mesmo assim, tem bastante ideia bacana que podemos replicar para nossa própria realidade de Brasil!

a) Promoções

Gente, eu sou daquelas consumidoras que ficam completamente hipnotizadas quando vêem uma placa escrito “Promoção”, “70% Off” ou qualquer coisa do gênero. E está tudo bem! Promoção é bom demais!!! Só precisamos tomar cuidado com o que vamos comprar. Não é só porque está barato que vamos sair comprando tudo o que vemos pela frente. São muitas as armadilhas! Proteja-se.

sqm0ss0htzw-raquel-martinez

Vou dar um exemplo prático:

Em casa não pode faltar pão de queijo congelado! A turma adora! Domingo a tarde, temos o hábito de sentar à mesa para comer um lanchinho gostoso com vários pães e frios. Pão de queijo não pode faltar. Outro dia fui ao supermercado e tinha a seguinte promoção: A cada pacote de pão de queijo congelado da marca X, você leva um Waffle congelado da mesma marca X com 50% de desconto. Caí na armadilha! Gente… não façam isso! Em casa, ninguém come Waffle. E o pessoal é chato com a marca do raio do pão de queijo: não pode ser X, tem que ser Y! Resumo da ópera: o pão de queijo não teve ibope e o Waffle ficou ocupando lugar no freezer por algumas semanas até eu decidir doá-lo para alguém.

Gente… promoção boa é aquela referente à produtos que fazem parte de seu hábito de consumo. Se tiver barato, compre mesmo! E siga para etapa “b”…

b) Estoque

Se tiver barato, tem que comprar o suficiente para se estocar. Eu sei … as vezes a gente se assusta quando passa no caixa: “Socorro! R$ 50,00 em Sucrilhos”! Aconteceu comigo uma vez. Minha filha adora comer cereal pela manhã! Outro dia fui no supermercado e o cereal que ela gosta estava com 30% de desconto! Já aproveitei e comprei umas 7 caixas! Lógico que aquela compra específica saiu mais cara que o normal! Mas gente, não se assustem! Se você diluir esse gasto nos meses seguintes, verá que vale a pena. Joga tudo lá na planilha de gastos mensais para você ver como ficou o fluxo de caixa. Suponhamos que uma caixa de Sucrilhos normalmente custa R$ 10,00 e minha família consome cerca de uma caixa por mês. Em 7 meses, eu gastaria R$ 70,00 em Sucrilhos, certo? Se compro o Sucrilhos bem na promoção com 30% de desconto, ou seja, a R$ 7,00 cada, economizo nada mais nada menos do que R$21,00! Levo 7 caixas por apenas R$ 49,00! De novo … se você for controller vai querer me xingar: “Você não está considerando a taxa da Selic, os juros do banco central, os rendimentos das ações XPTO… blá blá blá!” Aí eu te digo: “Ok … menos por favor! Estamos falando de continha de “+” e “-“… não venha complicar as nossas vidas! 😂” ! Dá licença… acabamos de economizar R$ 21,00 aqui! E isso na compra de um único artigo…. imagina quando aplicamos essa tática de estocagem na compra de outros produtos? É esse o espírito do negócio!

5za6nih4qpw-providence-doucet

c) Banco de dados de práticas de preço

Nós que temos o hábito de fazer compras semanalmente, já sabemos os preços dos produtos de cor e salteado, não é mesmo? Mas na dúvida, crie uma planilha com os preços médios de artigos que você costuma comprar e crie seu próprio banco de dados para futuras comparações. Como comentei com vocês, o FDA norte-americano já oferece aos cidadãos um guia de preços. Eu desconheço essa prática no Brasil. Se alguém souber de algum guia redigido por algum órgão do governo, me conta! Aí eu atualizo o blog. A base de dados nos ajuda muito! É sempre bom ter uma referência à mão!

c) Pesquise e compare preços

Isso é básico, né minha gente!? Sempre que entro no supermercado já pego logo de cara o folheto de promoções da semana. Aí vou direto ao ponto. Além de comparar os preços de produtos de diferentes marcas, também comparo os preços entre os supermercados.

c9ofrved_tq-paul-morris

d) Compre em mais de um estabelecimento

A autora dá o exemplo do ALDI, rede de supermercados alemã de baixo custo. Aqui não temos o ALDI, mas temos por exemplo o DIA! Minha cunhada é super engraçada… outro dia ela fez um comentário ótimo. Morri de rir: “O DIA parece supermercado comunista: só tem uma marca!” E de certa maneira é verdade… a proposta desse tipo de supermercado de baixo custo é justamente essa: poucas opções de marca, prateleiras improvisadas com caixas amontoadas umas sobre as outras, o atendimento é de péssimo à razoável ou OK… Você não está entrando no Pão de Açucar, benhê! Aceite essa verdade de uma vez por todas nesse seu coraçãozinho! Mas certamente você vai poder comprar itens básicos de despensa por um preço bastante razoável.

Eu compro no DIA! Me irrito toda vez que vou lá, mas continuo comprando. A economia é tremenda. Itens que valem a pena: papel higiênico, macarrão, extrato de tomate, iogurte, manteiga, refrigerante… Já aquele parmesão ralado da Serra da Canastra e o arroz de risoto, não tem jeito! Tem que partir para um supermercado de nicho.

uezxmrzffkq-clark-young

e) Carnes

Carne é um item caro! Eu sei … eu particularmente não ligo muito para carne, mas meu marido gosta bastante. Bom… além de sempre estar atenta às promoções, procuro sempre otimizar ao máximo o consumo da carne em nossa casa. Nunca jogo nada fora. A sobra do frango assado de domingo é imediatamente desfiada e usada como ingrediente de uma deliciosa torta de massa podre. O resto do filé mignon, vira strogonoff! Recicle sempre! O seu bolso agradece! Outra técnica bacana é “fazer a carne render”. Conhecem aquele ditado: “Coloque mais água no feijão”? É mais ou menos isso… carnes picadas e refogadas com legumes rendem muito mais! Além de serem muito nutritivas e saborosas.

mji7hdjxewo-lukas-budimaier.jpg

f) Frutas e verduras

Bom, aqui tenho que dizer que não sou muito entusiasta das dicas da autora. Ela recomenda que a gente compre produtos na promoção e congele tudo. De fato, muitos estudos apontam que as vitaminas dos legumes congelados se mantém intactas. Mas eu não gosto. Aqui em casa o pessoal é chato! Fazemos suco fresco todo santo dia e não pode faltar salada. Não congelo nada: compro tudo fresco. Minha estratégia é um pouco diferente. Vou dar algumas dicas para vocês já que os hortifrutis especializados costumam ser bastante careiros:

Frutas da época: Procure consumir às frutas da estação. Ninguém aqui precisa ser agrônomo para saber qual é a época de determinada fruta. Basta olha a placa de preço: se a goiaba estiver R$ 30,00 o quilo, pode ter certeza que não é temporada de goiaba. Compre o mamão! Ou qualquer que seja a fruta da estação.

Vendedor de rua: Muitos agricultores têm o hábito de armar suas tendas na beira da estrada com produto baratos e frescos. Eu compro muito de um senhor aqui na porta de casa! Me sinto feliz de poder contribuir para renda desse senhor e de quebra levo para casa produtos de qualidade.

Plante você mesmo: De novo gente… vocês me conhecem! Isso é pedir demais para mim! 😉 Tenho um vaso de manjericão e outro de alecrim aqui no jardim de casa, mas também é só! A minha sorte é que meus pais vivem em um sítio. Alface e ovo de galinha caipira são itens gratuitos aqui em casa!

4r1ypmgo52i-sven-scheuermeier

g) Compras de conveniência

Por mais que a gente seja “ponta firme” no controle de gastos mensais, a gente sucumbe mesmo nas comprinhas bobas de conveniência: “Puxa, esqueci de comprar pimenta do reino! Deixa eu ir pegar lá na mercearia da esquina!”. Shame on you! Antes de sair para  o supermercado, carregue sua listinha de compras! E procure garantir que não falta nada! Planeje-se para evitar surpresas lá na frente!

h) Planeje suas refeições

Achei essa dica super bacana. Eu tenho o hábito de comprar um monte de coisas que depois acabo tendo que jogar fora: venceu o prazo de validade, o tomate que estragou na geladeira… portanto, sempre que possível, compre apenas aquilo que você for usar na semana! Planeja o cardápio com antecedência e compre os ingredientes de forma certeira! Otimização é tudo! Assim você terá o melhor aproveitamento possível.

i) Não vá as compras com fome

Essa dica é por minha conta: vocês já foram ao supermercado com fome? UM PERIGO! Nunca, jamais façam isso! A gente perde a noção! Todas as vezes que vou ao supermercado com fome, acabo comprando um monte de bobagens. Levo para casa tudo o que  vejo pela frente. É psicológico o negócio. O cerébro fica desnortedo quando o estômago está roncando.  Fujam dessa armadilha!

Ufa!!! Acabou!

Pessoal… eu sei: esse texto foi longo! Mas vocês viram quantas dicas práticas e legais podemos aplicar em nosso dia à dia? É assim que fazemos uma boa gestão financeira! Precisamos nos ater aos pequenos detalhes. Dá um trabalhão! Mas é o único jeito de guardar dinheiro para o que interessa! O supermercado abocanha uma boa parcela de nossas rendas! Mensalmente!!! Por isso é tão crítico termos pulso firme na hora de ir às compras.

Eu confesso que sempre fui péssima dona de casa nesse quesito! Ia ao supermercado e comprava tudo o que queria. Até seguia a lista de compras, mas não costumava comparar preços, nem nada disso. Bom … as coisas agora mudaram um pouco de figura. Como estou desempregada, a nossa renda familiar diminuiu bastante nos últimos meses! Tivemos que apertar os cintos! Já conseguimos reduzir a conta de supermercado em uns 20% desde que comecei a colocar em práticas algumas técnicas acima. Legal né?

Sugiro que vocês façam o mesmo! Depois me contem qual foi o resultado!

No próximo post, vamos fazer um pequeno fechamento sobre o livro LWSL! E também vou dar alguns outros exemplos de como poupar.

Vocês vão chegar a conclusão de que as melhores coisas da vida são gratuitas!

The best things in life are free!

Beijos e até o próximo post!

Ma