Festa do pijama: resgatando a simplicidade da festa infantil em casa

Outro dia atrás estávamos folheando os álbuns de foto da Catarina e bateu aquela baita nostalgia. Quanta foto lindinha dela bebê. Aquelas gordurinhas branquelas saindo para fora da fralda. Aquela carequinha coberta por uma “penugem” loira esvoaçante. Aquele sorriso gengivado… ai Senhor! Meu coração de mãe explode de tanto amor pela pequena Catarina. Bem… não mais tão pequena assim. Afinal, 8 anos se passaram. Ou melhor: voaram! Catinha agora é uma mocinha. E esse ano, para celebrar mais um aniversário, ela pediu uma festa do pijama!

Gente … imagina eu! Mazinha! A pessoa que mais busca praticidade na face da Terra… já estava planejando contratar um buffet, como todos os anos, mas quando escutei “Festa do Pijama”, minha primeira reação foi: “Oh ow!” Fiquei um pouco desnorteada em um primeiro momento. Me bateu um pequeno pânico e comecei a imaginar algumas situações assustadoras: festa em casa, bagunça, brigadeiro pisoteado no chão da sala, um agrupamento de mini-mulheres em um espaço de 200m2… Socorro! Acho que muitas mamães em meu lugar teriam a mesma reação instantânea! Bom … por outro lado, embora eu seja uma mulher prática, também sou daquelas que topam tudo: Depois de me recompor do trauma inicial, pensei comigo: “Por quê não!? Se é isso que Catinha quer… Borá lá, ué!”

Como funciona…

Então … por onde começar!? Eu não tinha a menor ideia! Bom … com cerca de um mês de antecedência, comecei a me mexer. Pedi orientação para uma das mamães da escola que já tinha experiência no assunto e contratei a empresa Nana Cabana. Eles já tinham um check list de tudo o que eu ia precisar:

  • Aluguel de tendinhas: Elas são o máximo. Tudo cor de rosa. Cabem duas meninas por tenda. Eles trazem os colchonetes, mantinhas, travesseiros, lençóis e fronhas. Vem até umas bandejinhas de café da manhã. No dia do evento, vem uma pessoa armar as barracas. Tudo direitinho. Decoradas com bandeirolas e luzinhas. IMG_8455
  • Kit convidada: Gente … pára tudo. Esses kits são um sonho. Para festa da Catinha escolhemos:
    • Pijama de algodão bordado com o nome de cada convidada
    • Tapa olho
    • Pantufa
    • Ursinho de pelúcia com tapa olho
    • Kit higiene com escova e pasta de dentes
  • Mesa decorada: Você também pode escolher o tema da festa e eles preparam toda a decoração para vc. Com bolos, doces, flores… tudinho. No nosso caso, optamos por fazer nós mesmos essa parte. Fizemos uma força tarefa familiar e todo mundo colaborou um pouquinho. Minha sogra encomendou o bolo e os pirulitos customizados. Minha mãe tomou conta de toda a decoração: comprou as flores, pintou os vasos, adesivou as garrafinhas de água, fez bolachinhas de nata, etc. A Sued, minha secretária, fez um bolo de cenoura e os brigadeiros. E eu … bom, eu paguei, né gente? Brincadeira! No dia da festa, eu participei da montagem! Foi realmente um trabalho em equipe. O tema foi de urso!

IMG_8454

A festa…

A casa ficou linda. Tinha decoração para tudo quando é lado. Além da mesa do bolo, armamos várias mesinhas menores por toda a casa, com vasos de flores, doces e água.

Também preparamos várias atividades: revistas de pintar, mesa de brinquedos, montagem de pulseiras e desfile de fantasia. Afastamos o sofá e ligamos o Just Dance do X-Box. As meninas dançaram à beça! Comemos pizza e cantamos parabéns! Lá pelas 11h00 elas se esparramaram no sofá para assistir filme. Algumas se renderam ao cansaço e partiram para as tendas antes da meia noite. As mais agitadas, ficaram a 1000 por hora até à uma da manhã. Eu acabei dormindo na sala. Junto com a Catinha. No fim ela adormeceu na frente da TV e quis ficar ali, agarradinha comigo. Tive que levantar umas 3 vezes no meio da noite para cobrir as meninas nas tendas. Fazia frio.

No dia seguinte, estava todo mundo de pé às 7h00 da manhã. Meu marido foi na padaria pegar pão fresco e frios. Eu fiz leite batido com Nescau. Elas se trocaram, escovaram os dentes e brincaram até às 10h da manhã, quando os pais vieram buscá-las.

A experiência

Incrível. Não existe palavra melhor para descrever essa experiência. Essa foi, sem sombra de dúvidas, a festa de aniversário que a Catinha mais gostou. E acho que são inúmeras as razões para eu afirmar isso para vocês. Em primeiro lugar, essa festa foi só dela. Não tinha convidado de pai e mãe. Só tinha convidado dela. Ponto final. Em segundo lugar, a festa foi pequena. Ela realmente pôde curtir cada uma das amiguinhas. Dar atenção e receber atenção de cada um delas. E em terceiro lugar, o fato de a festa ter sido em casa, trouxe um clima de aconchego sem igual. A gente conseguiu resgatar “aquela coisa” de festa à moda antiga. O simples. O caseiro. Foi bom … foi bom até para mim. Para recordar como é gostoso estar cercado de amigos. Como é bom receber gente em casa. Como é bom comer pão com manteiga de café da manhã. E ficar de pijama descabelada até a hora que “der na telha”. Hoje em dia, acho que perdemos um pouco dessa coisa familiar. De fazer tudo em casa. Todo mundo junto. Simples. Vocês acreditam que na hora do parabéns, elas preferiram cortar o bolo de cenoura da Sued ao invés do bolo de pasta americana da confeiteira? Pois é … para vocês verem. No final das contas, todo mundo quer ter aquele gostinho de “lar doce lar”.

Eu só tenho a agradecer aos papais que permitiram que suas filhas viessem passar a noite em nossa casa. A gente fica preocupado. Elas são pequenas. Eu sei … não é uma decisão fácil de se tomar. E para mim também é uma responsabilidade muito grande cuidar do filho dos outros. Fiquei alerta a noite toda. Não preguei o olho. Teve uma que caiu e torceu o pé. Outra que estourou a pulseira de líquido fluorescente. E vira e mexe, eu tinha que estar de prontidão para apaziguar os ânimos da molecada de modo a evitar brigas. Faz parte … como sou mãe de filha única, confesso que fiquei um pouco atrapalhada em alguns momentos, em meio aquele furacão de crianças. Mas no final acho que deu tudo certo.

Meu sentimento hoje é de pura gratidão.

Me sinto grata, em primeiro lugar, por poder proporcionar à minha filha, momentos tão especiais e inesquecíveis. Mas acho que o que fica mesmo para todos nós é um grande aprendizado. Às vezes, a busca insana pela praticidade a qualquer custo pode tornar a vida muito superficial. Temos que tomar cuidado para não perder de vista a essência da vida, a qual só experimentamos verdadeiramente, a partir do momento que nos envolvemos. Que nos entregamos. Que nos dedicamos. Nós mesmos. Mais ninguém. Tem coisa que não dá para terceirizar. É com você o negócio. Precisamos urgentemente resgatar a simplicidade em nossas vidas. É isso que nos torna humanos. É isso que nossas crianças querem. E isso ficou muito claro para mim quando eu vi 8 lindas meninas se deliciando com um simples pão com manteiga na mesa do café da manhã e jogando conversa fora.

IMG_8577